paraladys

33 HQs para o dia da Mulher

Muito já foi dito sobre o Dia Internacional da Mulher no Lady’s Comics. Acreditamos que essa seja uma data de reflexão sobre a história da mulher até o momento. Mais do que comemorar, achamos necessário recordar. Por isso, além da lembrança, que tal marcar a data com um quadrinho? Nossa dica é: leia, compartilhe ou…

Leia mais →
CeciliaP2

As coisas que Cecília fez

Numa das minhas (eternas) pilhas de livros para ler, estava o quadrinho de Liber Paz, com um autógrafo datado em 17/11/2013, último dia do FIQ, “Uma historinha de desencontros, reencontros, amor e um bocadinho de vergonha alheia”.  Foi desse jeito que fui recebida ao abrir a primeira página, saudades do FIQ e a lembrança quando…

Leia mais →
1334089-Mopsy17M2s

Bonecas de papel

Muitas garotas já devem sacar pelo título o assunto do post de hoje. Afinal, foram as bonecas uma das ferramentas mais utilizadas para aventuras imaginárias das meninas. Nesse post irei falar de uma personagem que se popularizou por meio de seus quadrinhos as bonecas de papel. As bonecas de papel eram um passatempo barato e…

Leia mais →
le-bleu-est-une-couleur-chaude

Encontre a sua cor mais quente

Meu primeiro contato real com Azul é a cor mais quente foi quando, há uns poucos meses, fui ver o filme. Até então, somente tinha escutado/lido murmúrios a respeito. Trata-se de uma história de amor, criada por uma quadrinista francesa, a Julie Maroh. Não mais do que isso: uma intensa história de amor, com emoções,…

Leia mais →
images

A primeira protagonista dos quadrinhos

Ela apareceu por pouco tempo aqui no Brasil com o nome de Narcisa ou Felismina. A revista que originalmente estrelava foi a inspiração para a Revista o Tico-Tico (primeira revista dedicada aos quadrinhos no Brasil). Bécassine apareceu em 2 de fevereiro de 1905, nas páginas de “La Semaine de Suzette”. Sua roteirista, Jacqueline Rivière, ao…

Leia mais →
Capa

Nossos 30 minutos de felicidade

Coreanos adoram histórias bem trágicas. Só ver os filmes e séries que produzem. Eles basicamente acabam com teu coração. Tu te afeiçoas com os personagens e, no final, levas uma facada com o desfecho. A adaptação do romance de Gong Ji-Young para mangá, Watashitachi no Shiawase na Jikan (nome japonês),  é uma dessas histórias orientais…

Leia mais →