As dúvidas de Erika

Erika - foto de Lori Matsumoto

Por  Gabriela Belderrain estudante do curso de Comunicação Social – Midialogia na Unicamp

Para Erika Moen, se apaixonar por um homem foi um grande problema. Afinal, ela tinha construído toda sua identidade social, sexual e política como lésbica. Podemos acompanhar suas dúvidas e questionamentos (e, enfim, resoluções) no seu webcomic autobiográfico DAR! – A Super Girly Top Secret Comic Diary. Ela começou em 2003, enquanto ainda estava na faculdade e num relacionamento instável com sua primeira namorada, e finalizou o projeto em 2009, depois de formada e já casada com Matt Nolan.

Ao longo desse período, acompanhamos a evolução da identidade de Erika, em seus quadrinhos cheios de humor ao se tratar de um assunto tão delicado.

Erika conheceu Matt quando estava fazendo intercâmbio na França e decidiu passar alguns dias em Londres. Matt, que era fã de Erika e acompanhava seu trabalho pela internet, ofereceu-se para hospedá-la, e então o inesperado aconteceu: Erika se apaixonou por um homem, colocando-a numa situação muito confusa. Como ela poderia amar Matt, se ela era lésbica?

Porém, ela resolveu lidar com o assunto em vez de apenas fugir do relacionamento e conseguiu chegar a uma solução, definindo-se como “queer”, que engloba qualquer tipo de sexualidade não-normativa, seja hetero ou homo.

O que antes era um estilo amador, em painéis que eram mais como um diário pessoal da autora, se transformou a ponto de Erika consolidar seu traço e sua habilidade de contar pequenas histórias engraçadas em tiras ou tratar de assuntos mais polêmicos, como a compra de um vibrador em uma série que mais tarde se tornariam posters. Apesar dos temas tratados em seu trabalho ainda serem um tanto pessoais, ela consegue deixar o leitor confortável o suficiente para partilhar algo pessoal nos comentários.

Recentemente Erika finalizou seu projeto em colaboração com Jeff Parker, o webcomic Bucko. A história é sobre  as desventuras de Rich “Bucko” Richardson, que ao ir ao banheiro durante uma entrevista de emprego, encontra um homem assassinado. Com o humor de Parker e a incrível arte de Erika, estes quadrinhos são ótimos para quem gosta de uma história de mistério com toques surreais e divertidos.

Erika já publicou duas antologias de DAR! e um livro em parceria com Lucy Knisley, Drawn to You. Em breve, será lançada uma coleção de quadrinhos eróticos da qual Erika é colaboradora, chamada Smut Peddler Anthology. Também participam Jess Fink , de Chester 5000 XYV, e Spike, de Templar, Arizona.

3 comentários em “As dúvidas de Erika

  1. Adorei a matéria, não conhecia a artista.

    Parece bastante “Finding Amy”, do Kevin Smith, onde uma quadrinista lésbica se apaixona pelo Ben Affleck. As duas enfrentam os mesmos conflitos morais/sexuais/socias. Faz a gente pensar, né? Sexo, em todos os seus sentidos, não deveria ser tão complicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *