As Mulheres de Tatsumi

O Japão tentava se reerguer após o fim da Segunda Guerra Mundial. Com a população beirando a pobreza e com duas cidades devastadas por bombas atômicas, a ocupação dos Estados Unidos em solo niponico era inevitável. E essa interferência americana repercutiu também nos quadrinhos o que resultou na proibição de críticas aos Estados Unidos, mas por outro lado fez rever tabus que restringiam a liberdade de expressão.
Muitas publicações de quadrinhos nessa época tinham o objetivo de levantar a auto-estima dos cidadãos e assim tornar mais suportável as precárias condições de existência. Histórias com comédia, fantasia, personagens que lutavam com humildade para buscar o que desejavam era o que mais surgia nos quadrinhos pós-guerra.

Sem temer a censura, os mangakás expandiram os estilos e os assuntos, buscaram em seus trabalhos um estilo para contar suas histórias. O estilo que estava interessado em mostrar o verdadeiro ser humano e trazer alguma crítica direta sobre a sociedade, só veio em 1957, depois de cinco anos após a desocupação dos Estados Unidos  no Japão. Esse estilo, conhecido como gekigá, surgiu com o trabalho de Yoshihiro Tatsumi. Uma das obras de Tatsumi – Mulheres – traz uma narrativa intimista e verdadeira sobre as personagens.
Tatsumi apresenta em seu mangá Mulheres 6 histórias que ocorrem durante a recessão no Japão o que influi nas e atitudes e decisões das protagonistas, como se observa nas reviews abaixo.
Mika vive com o dinheiro que consegue de cada um de seus amantes, mas começa a sentir os efeitos da recessão econômica.
Kyouko é casada com um homem vítima de um acidente de trânsito e que tem fobia de sair nas ruas de Tóquio. Mas o que está por trás desta relação não é o amor nem a compaixão.

Essas são duas das seis histórias do mangá que surpreendem e fazem o leitor gostar do desfeixo, simplesmente, dramático e inesperado.
No mangá há uma introdução excelente de Sonia M. Bibe Luyten, especialista em mangás, que aprofunda mais sobre o autor e a obra. :D

3 comentários em “As Mulheres de Tatsumi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *