CCXP no nordeste e o Artists’ Alley

A Mariana Sales (Marionete), de Campina Grande (PB), não estava nas mesas, mas se você a encontrasse pelo evento, poderia comprar o seu lançamento “Lisérgica”.

Uns meses atrás, entre os dias 13 e 16 de abril, foi realizada a primeira edição da Comic Con Experience Tour – ou CCXP Tour para os íntimos. O local escolhido foi a capital pernambucana Recife, o que muito alegrou os nordestinos como eu, que em sua maioria puderam chegar à cidade de carro ou de ônibus. Entre a quinta e o domingo da semana santa o Centro de Convenções de Pernambuco, velho conhecido da vizinhança por causa do festival de música Abril Pro Rock, recebeu inúmeros quadrinistas, cosplayers, atores e claro, o público, que em alguns momentos lotou o lugar.

Mas estamos aqui para falar especificamente do Artists’ Alley. Foram 8 blocos de mesas (do A ao H) num total de 175 artistas, entre os quais 33 mulheres, segundo a lista do site Delirium Nerd. Outro site que também listou a participação feminina no beco foi o Collant Sem Decote. Localizado no mezanino do lugar, o posicionamento das mesas dividiu as opiniões entre os que acharam que diminuiu a quantidade de público transeunte e portanto a formação de novos leitores, e os que consideraram positivo, porque apenas estaria lá quem efetivamente tivesse interesse em comprar.

Durante alguns dias do evento percorri as mesas do lugar tentando fotografar as autoras e suas produções, pensando primeiramente em apresentar apenas as quadrinistas, mas ao ver que grande parte das presentes trazia apenas trabalhos de ilustração e alguns bonitos demais para não serem mencionados, resolvi apresentar todas as autoras que consegui fotografar. Algumas infelizmente não foi possível, porque não encontrava nas mesas, ou porque estavam sempre cheias de possíveis compradores e nunca sobrava uma brechinha pra tirar foto. Para as que foram retratadas, perdoem esta fotógrafa que deixou a desejar.

 

Iniciamos o nosso tour com a minha vizinha de mesa Ise Nishi, de Fortaleza (CE). Ela e o Edu Matos estavam na H20 lançando o seu quadrinho “Entre as sarjetas” (R$ 20,00), com tirinhas publicadas semanalmente na internet desde 2015 em coautoria com a Débora Nishi (que não estava no evento) e também tinham à venda alguns prints com referências, principalmente do Studio Ghibli. As tirinhas podem ser lidas no Facebook e no blog, onde podem ler também o texto que o Edu escreveu sobre suas impressões do evento, com direito a foto com os vizinhos (ou seja, nós).

 

Por um momento quase esqueci de falar de mim mesma. Também sou quadrinista e estava lá, tentando ganhar dinheiro, sucesso, fama e glamour. Junto com meus companheiros de Quadrilha, ocupamos as mesas H18 e H19 trazendo alguns lançamentos entre outras publicações mais antigas, a exemplo do livro “Olga, a sexóloga” (R$ 20,00), lançado em 2015. Contudo, de novo levei apenas alguns prints de tirinhas publicadas ao longo da vida de quadrinista, afinal, temos que nos desfazer das coisas antigas para dar espaço às coisas novas, já diria minha mãe. Da esquerda para a direita, estavam na mesa Igor Tadeu, T. Leal, Thaïs Gualberto e samueldegois, devidamente representados no banner atrás de nós (mas não nessa ordem). Apesar de estarmos divididos entre João Pessoa, Recife e Manaus, somos todos da capital paraibana. Além da página da Quadrilha, meus trabalhos estão na fanpage Kisuki.

 

Seguindo adiante, na mesa G10 estava a Ju Veríssimo, nascida em Campina Grande (PB) mas residindo em Natal (RN), acompanhada do seu pai José Veríssimo, com quem produz o quadrinho Marieta, lançamento que trouxeram para a CCXP Tour. Publicadas online, as tirinhas podem ser lidas no blog ou no Facebook. Estavam também disponíveis à venda na mesa a “Coletânea Potiguar de Quadrinhos” e o segundo volume da coletânea “Visualizando Citações”, ambas as publicações organizadas no Rio Grande do Norte. Apenas nas três primeiras mesas da lista já podemos perceber que o fato do evento ter sido realizado no Nordeste implicou numa presença maciça de quadrinistas nordestinos no Artist’s Alley, o que contribui positivamente para a cadeia produtiva local, já que a maioria dos eventos da região não tem o mesmo alcance ou a mesma quantidade de vendas. Para vender a um número maior e a uma maior variedade de leitores, o quadrinista nordestino geralmente migra para eventos realizados no sudeste ou no sul, cujas vendas muitas vezes não são suficientes para cobrir os custos com passagens e hospedagem.

 

Ainda do Rio Grande do Norte, mas dessa vez de Mossoró, veio Renata Nolasco, ou Atóxico. Colaboradora do Delirium Nerd, a ilustradora e quadrinista atua desde 2014 e estava com os lançamentos “Minas para colorir” (R$ 25,00) e “Os feminismos e eu” (R$ 15,00), além de prints e adesivos. Atualmente está finalizando sua HQ “Apenas Ana”. Para conhecer seus trabalhos pode procurar no Facebook, Instagram, Medium e Tumblr.

 

Com inúmeras produções de histórias em quadrinhos e livros acadêmicos produzidos em Maceió (AL) a mesa do Studio PBR teve a presença de Janaina Araujo, Mariana Petróvana e Gabriela Melo (com seu cosplay de Diana de Eruvë (R$ 20,00), quadrinho de autoria do studio). As produções à venda na mesa são indicadas principalmente para quem gosta de ler mangás, já que é o estilo adotado pelo studio, mas não se limitam a estes leitores. Quadrinhos como “Preto de nem carvão”, por exemplo, que traz a história de duas crianças negras que se deparam com o preconceito racial e aborda o assunto através do humor, são a publicação perfeita para dar aos filhos e pegar emprestado pra ler também.

 

As Senhoritas de Patins são um estúdio formado pelas ilustradoras e quadrinistas de Belo Horizonte (MG) Kátia Schittine e Fabiana Signorini, que estavam na mesa C13 vendendo entre prints e adesivos a HQ de fantasia e aventura “Cotidiano Fantástico” (R$ 15,00). Na ativa desde 2003, o estúdio foi formado em 2014 e seus trabalhos podem ser vistos no site ou no Facebook.

 

Brendda Lima é ilustradora e colorista de Fortaleza (CE), onde integra o coletivo Netuno Press, junto com Debora Santos, Talles Rodrigues e Marcio Moreira. Estava na mesa A18 junto ao Pablo Casado, roteirista da HQ Mayara e Annabelle, cuja terceira edição ela foi responsável pelas cores. Para acompanhar os trabalhos da Brendda na internet você pode acessar o Vanilla Tree no Tumblr ou no Facebook.

 

Suu Hideto é uma entusiasta do estilo lolita formada em Publicidade e Propaganda, nascida no Paraná e residente em São Paulo. Na sua loja, entre roupas e acessórios podemos encontrar algumas publicações, que estavam disponíveis também na sua mesa, A16 no Artists’ Alley, entre as quais o mangá “Peter Pan The Second Day” (R$ 10,00). Suu também ministrou aulas de mangá e desenho de moda; para conhecer melhor seus trabalhos, visite o Deviantart, Facebook ou o website.

 

Na mesa B07 estavam Lais Marques e Luna, ilustradoras nascidas e criadas em Recife (PE) que desenvolveram seu interesse pela ilustração ainda durante a infância. Entre os trabalhos disponíveis à venda estavam o lançamento da Lais “O começo de: como funcionam os humanos”, para conhecer melhor os seus trabalhos acesse pelo Facebook, Deviantart ou Behance. Já o material criado pela Luna pode ser acessado no Facebook ou no Tumblr.

 

Cris Peter é natural de Porto Alegre (RS) e estava nas mesas C09 e C10, conhecida principalmente pelos seus trabalhos de colorização, entre os quais Astronauta (MSP) e inúmeros títulos das editoras Marvel, DC Comics, Dark Horse e Image. Além do livro “O uso das cores” sobre colorização, estavam também à venda a HQ “Patas Sujas”, entre outras. Cris também publica online “Quimera”, do selo Pagu Comics (Social Comics), onde é responsável pelo roteiro e arte, e nas suas páginas no Facebook e Instagram, onde costuma postar seu processo criativo.

 

Renata Rinaldi ou Tinta de Raposa é uma quadrinista mineira que reside em Brasília e estava também nas mesas C09 e C10 com várias publicações, entre as quais o lançamento “Compartilho comigo” (R$ 10,00). Publicou tirinhas na Batata Frita Murcha, é fundadora e integrante do coletivo Mandíbula e colaborou com diversas coletâneas. Atualmente desenha para a publicação D.A.D.A. do selo Pagu da Social Comics. Você pode acompanhar seu trabalho no Facebook e no Instagram.

 

Luiza de Souza, ou Ilustralu, nasceu no interior do Rio Grande do Norte mas atualmente reside em Natal. Formada em Comunicação Social, ocupou a mesa D03 do Alley com vários itens, entre os quais os lançamentos “O inventário amoroso de Marcela” e “Shipp”. Sua primeira HQ, publicada e reeditada pela editora natalense Tribo, foi “Contos rabiscados para corações maltrapilhos”, de 2014.

 

Cris Camargo é gaúcha mas mora em São Paulo e estava na mesa F2 com o seu quadrinho “O último Maranishi”, série que está em fase de produção do terceiro capítulo e publicada também como webcomic. Formada em Comunicação, é editora e produtora de conteúdo digital, além de ilustradora. Para acompanhar suas publicações, visite sua página no Facebook.

 

Milena Azevedo é roteirista e organizadora da ala de quadrinhos da Feira de Livros e Quadrinhos de Natal – FLIQ. A roteirista de “Haole”, do selo Pagu (Social Comics) também escreve resenhas para o Universo HQ e para sua coluna no Substantivo Plural. Organizou as coletâneas “Fronteira Livre” e “Visualizando Citações”, cujo segundo volume foi lançado na CCXP Tour, ambas publicadas pelo selo MBP, criado por ela e Rodrigo Brum.

 

Bianca Pinheiro é a quadrinista de Curitiba (PR) que ficou famosa com a publicação do seu quadrinho “Bear“, primeiro criado como webcomic e posteriormente publicado impresso pela editora Nemo. Foi escolhida para fazer uma HQ sobre a Mônica para o projeto Graphic MSP, quando criou “Mônica – Força” e além desses, também tem publicadas “Dora” (MINO) e “Meu pai é um homem da montanha” (independente), criada em parceria com seu marido Gregório Bert. Ela é formada em Artes Gráficas e tem Pós-Graduação em Histórias em Quadrinhos e você pode acompanhar os seus trabalhos no Tumblr ou no Facebook.

Além das quadrinistas, estavam presentes nas mesas também muitas ilustradoras, às vezes sozinhas, outras dividindo a mesa. O mais comum era ver à venda itens com personagens de filmes, desenhos animados ou séries no seu próprio traço e o comprador que encontrasse a obra de seu gosto no estilo que mais agradasse, provavelmente voltaria para casa com algum print, adesivo, cartão postal, caderno, ímã de geladeira, etc e tal.

A Renata Aguiar é uma ilustradora de Curitiba (PR) que estava nas mesas D11 e D12 e seu trabalho é perfeito para quem gosta de desenhos redondos e fofinhos, trazendo para o seu traço versões de inúmeros personagens do entretenimento. Na página The Palette Challenge ela se desafia a criar desenhos em apenas cinco cores. Para ver outros dos seus trabalhos pode visitar as páginas Reh.desenha no Facebook e no Colab55 ou comprar pôsteres com seus desenhos no MacGuffin Arts.

 

Gio Guimarães é mineira, mas reside em São Paulo e trouxe para a CCXP Tour muitas artes realistas e/ou em SD (super deformados, esses bonequinhos fofinhos com a cabeça desproporcional ao resto do corpo, como se fossem crianças). Atualmente cria artes para jogos na empresa Cool Mini Or Not.

 

Adriana Melo é a ilustradora da lista que talvez dispense comentários. Mas para quem ainda não conhece o seu trabalho, vamos tentar resumir. Trabalhando no mercado de quadrinhos desde os 18 anos, seu primeiro grande título foi Homem de Ferro. Posteriormente ilustrou inúmeros outros títulos da Marvel, DC Comics, Dark Horse, Image Comics e atualmente é responsável pelo traço da HQ de Doctor Who, ou melhor “New Adventures of the Ninth Doctor”, publicado pela Titan Comics. Você pode acompanhar seu trabalho pela página do Facebook.

 

Monique Alencar, ou Nickyzilla, estava na mesa C08 e veio de Brasília com suas artes, majoritariamente imagens de animais antromorfizados ou pessoas em formas animais. Trabalha como freelancer e publica seus desenhos no Facebook e no Instagram.

 

Sapo Lendário é a dupla de ilustradores de Caruaru (PE) formada por Natália Lima e Júnior Ramos, que ocuparam a mesa C07 do Artists’ Alley. Seu trabalho mais recente é o artbook “Inkgirls”, financiado pelo Catarse, assim como a HQ MONO, também de autoria da dupla. Você pode acompanhar os dois no Facebook, ArtStation, Tumblr, Behance, Instagram, YouTube e Deviantart.

 

Amanda Aquino (Recife) e Azuos (Olinda) dividiram durante o evento a mesa F03, onde estavam disponiveis suas artes de Star Wars, Steven Universo, Sailor Moon, Stranger Things, entre outras. Amanda é formada em Design e freelancer de ilustração e animação, seus trabalhos podem ser vistos no Instagram e no Facebook. Azuos é professora de desenho técnico e artístico e também trabalha como ilustradora freelancer e você pode conhecer melhor a sua produção no Facebook e no Deviantart.

 

Por fim e não menos importante, estava lá também a ilustradora Anna Charlie (SP), na mesa F08. Fiquei absolutamente encantada com os seus trabalhos, que acabaram se diferenciando da maioria justamente por não trazer referências da cultura pop, o que espero que não tenha prejudicado as vendas, já que é exatamente isso que grande parte do público quer, itens referentes aos seus filmes, séries, desenhos, livros ou jogos favoritos. Além dos prints propriamente ditos, havia muitas aplicações dos seus trabalhos em porcelana, uma mais linda que a outra. Para conhecer as suas ilustrações e quadrinhos você pode visitar sua página no Facebook, Instagram ou visitar sua loja na Iluria.

E basicamente, passeando pelo Artists’ Alley em dois dias de evento, foram essas as autoras que encontrei nas mesas para fotografar. Algumas, como a Dharilya e a Natália Prata, estavam sempre tão cheias de gente querendo comprar seus trabalhos que não pude fotografá-las. É satisfatório ver tantas autoras num espaço como esse, quando sabemos que cerca de 10 anos atrás a realidade seria bem diferente. Também é visível a importância de eventos desse porte em regiões como o Nordeste e o Norte, carentes de grandes eventos e grande público nos mesmos, das 25 autoras citadas no texto, 13 residem na região. Esperamos que a partir dessa experiência as autoras e autores do Nordeste continuem galgando espaços no cenário nacional das histórias em quadrinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *