Cerulean: sereias e celulares

O texto a seguir não contém spoilers.

Para uma sereia míope, deve ser bem difícil enxergar debaixo d’água. Já usar o celular não é coisa tão complicada: basta uma daquelas bolsinhas à prova d’água que vendem nos parques aquáticos… É assim que Cerulean, personagem que dá nome ao novo quadrinho de Catharina Baltar, dá seu jeito.

13690590_1779708402242876_718201324325083616_n

Imagem: Divulgação

Sinopse: “Cerulean conta a história de uma sereia que vive nos tempos atuais. Ela é míope, tem cabelos azuis e seu melhor amigo é um axolote cor-de-rosa chamado Ollie. Eles viviam tranquilamente no fundo do mar, até que um dia Cerulean encontrou um objeto misterioso e brilhante em uma caverna: um celular! Cada vez mais fascinada pela tecnologia humana, ela se vê dividida entre dois mundos.”

Cerulean é muito mais do que uma Ariel do século XXI. Ela domina rapidamente os artefatos humanos e sai em busca não de um príncipe encantado, mas de experiências e conexão – consigo mesma e com outros. (Sorte que a internet pega na praia!) A narrativa leve e bem executada acompanha com humor as aventuras da sereia enquanto ela lida com as consequências de sua curiosidade.

Nesse sentido, Cerulean lembra a bruxinha Kiki do Serviço de Entregas da Kiki, outra forasteira mágica que precisa encontrar seu lugar no mundo. Assim como nos clássicos do Estúdio Ghibli, a doçura da história não impede que ela tenha sua pitada de melancolia, nem deixa de fora a possibilidade de refletir sobre as relações humanas (ou sereias) com a natureza e a sociedade.

14192516_1812685435611839_3699951629742110979_n

Imagem: Divulgação

Cerulean é a primeira publicação independente de Catharina Baltar e foi um sucesso definitivo de financiamento coletivo. Alcançou rapidamente sua meta e encerrou a campanha arrecadando 218% da mesma.

Isso permitiu que o livro fosse impresso totalmente em cores, o que exigiu que Catharina redesenhasse toda a história! A aventura de Cerulean foi feita originalmente em nanquim preto e branco durante o Inktober de 2015, um desafio onde os artistas fazem um desenho por dia durante outubro. Para a publicação, Catharina refez os desenhos em aquarela, resultando em uma atmosfera ainda mais rica para a história.

Além de incluir histórias extras, o livro final também desvenda o processo de produção do quadrinho desde a sua concepção. É uma das minhas partes preferidas, porque podemos contemplar o tempo e o carinho necessários para se produzir um quadrinho. Você também pode ver parte do processo no video abaixo:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=GB-60H1ef9I&w=560&h=315]

Considerando todo o processo, Catharina fez o papel de artista, desgner, publicitária e possivelmente até empacotadora. Todo esse trabalho não foi em vão: o resultado foi uma edição de alta qualidade, uma história envolvente e artes de encher os olhos – um livro completo.

Sobre a autora

Catharina Baltar é formada em design, trabalha com produção de arte para jogos digitais e nas horas livres faz quadrinhos. Participa do coletivo Mandíbula. Veja também o seu portfolio e a sua página.

Ficha do livro

Cerulean / Catharina Baltar – Brasília, 2016. 80 páginas, colorido.

Onde comprar: http://cathbaltar.iluria.com

14102981_1794464207433962_2196068444126215012_o

Imagem: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *