E essa tal de Guerra Civil?

É isso, vou virar a mulher que só fala de supers, and… u know… i like it :P
Mas deixa eu me explicar, eu tinha uma listinha de HQs ótimas e possíveis entrevistas, daí, veio Captain America: Civil War e – POW! – roubou meu coraçãozinho! (não conta pra ninguém mas meu fundo de tela tem imagem do filme e eu gastei 14 dinheirinhos só pra ter um copo com o grupo do #TeamCap).

Pro'cê ver que não estou mentindo! :P

Pro’cê ver que não estou mentindo! :P

Mas aí você, que não liga pra vida de super, que nunca gostou muito dessa coisa de collant e pancadaria, chega pra mim e diz: ”maqueporra é essa de #TeamCap e #TeamIronMan?” Bom, essa coluna é para você. Vou explicar tudinho!

(ei, você aê que manja do mundo super e que, como eu, saiu do cinema virando estrela e batendo palminha, fique também, leia até o final, quem sabe não te dou umas dicas de como explicar nossa paixão prozamigue que olham torto quando a gente fala que assinou abaixo-assinado pra salvar a série da Peggy, Agent Carter.) :P

Então, dá aqui a mão e bora entender o frisson em cima de Capitão América: Guerra Civil (Captain America: Civil War).

civil war - todos

Este filme é uma adaptação de uma saga em quadrinhos que ficou icônica, mas vamos começar falando que gibi e cinema são mídias diferentes, por isso, chamamos de adaptação. Raramente as histórias ficarão idênticas por conta de que, como a literatura, as histórias em quadrinhos tem mais tempo para desenvolver personagens, relacionamentos e tretas. Então, não vai ficar idêntica ao quadrinho, mas também, obviamente, para ser bem sucedida, uma adaptação de uma HQ para cinema deve pinçar elementos e detalhes que dialoguem com a obra original, ou corre o risco de não agradar nem fã antigo nem os possíveis novos. E isso, a Marvel, no cinema, tem tirado de letra, porque as histórias que estão rolando na telona, têm os elementos das HQs, “respeita” o que deve ser respeitado e ainda assim, têm sua própria cronologia, sua própria lógica que sai alinhavando as histórias.

Falando em cronologia. Não tenha medo nem preguiça, outra coisa importante e que a Marvel tem feito lindamente é saber adaptar as histórias para que ela alcance tanto o fã experiente quanto quem acabou de descobrir essa vida. Seja você uma pessoa que lê as HQs desde quando usava fraldas ou que tenha acabado de chegar e tenha conhecido os personagens apenas no cinema, você vai se divertir. A Marvel tem sido tão esperta neste quesito que se você se interessar a ver apenas o mais recente, o Guerra Civil (vou chamar apenas de Guerra Civil, pra abreviar, tudo bem?) você vai entender de boa, sem precisar passar por toda cronologia de filmes que existiram antes. As informações que você precisa para entender o filme estão lá: você pode até confundir o nome dos heróis, outros heróis e vilões, mas vai sacar quem está do lado de quem e os motivos pra treta toda. Claro que como fã, vou querer te influenciar a ver todos os filmes que vieram antes porque sua experiência será muito mais legal e rica (vou deixar uma listinha no final, caso queira fazer uma maratona), mas se quiser ver apenas o mais recente, pra entender esse hype todo, pode ver. Dá para entender. E antes que você pense, “ah, mas ela não teria como avaliar isso, já que até os sonhos dela com super-heróis, respeitam a cronologia”, testei essa minha afirmação com amigos civis. E eles entenderam tudinho. :D

”Maqueporra é essa de #TeamCap e #TeamIronMan?”

Este filme tem duas discussões éticas formidáveis, e diferente da HQ, talvez seja um pouco mais difícil de escolher um lado. Aviso logo que sou #TeamCap, que é o lado do Capitão América, do começo ao fim, e nas duas mídias, então, talvez, eu não seja tão bem sucedida em defender o lado do Tony Stark, o Homem de Ferro (Iron Man), que é o #TeamIronMan.

A primeira das discussões da história surge no momento em que, durante uma missão, a inexperiência tanto de um membro mais novo quanto a de um antigo (que envolve um lance super emocional, chuif, por isso ele agiu como noobie.), faz com que role uma grande merda (vou evitar spoilers, prometo), e como ela acontece pouco tempo depois de um evento do filme anterior (esse evento é mencionado e explicado, sem ser didático demais mas sem deixar perdido quem nunca viu), onde os mocinhos venceram, mas com um custo extremamente alto, essa merda abre precedentes para que os governos do mundo digam que super-heróis não podem mais usar seus poderes, livremente, sem uma supervisão, mesmo que estejam tentando salvar o mundo.

#TeamIronMan – Tony Stark, o Home de Ferro (Iron Man), consumido por culpa pelas mortes que aconteceram como conseqüência que os dois episódios que mencionei acima, não pensa duas vezes e sim, prefere que exista uma supervisão. Prefere que a ONU passe a controlar os Avenger/Vingadores, com um registro de heróis que estão na ativa ou não. E que a ONU indique quais missões eles devem se envolver. Nas fotos, você pode ver quem ficou do lado dele.

Da esquerda para a direita: Visão (Vision), Homem-Aranha (Spider man), Homem de Ferro (Iron Man), Viúva Negra (Black Widow) e Máquina de Combate (War Machine) - cadê o Pantera Negra? Heh. Assista ao filme.

Da esquerda para a direita: Visão (Vision), Homem-Aranha (Spider man), Homem de Ferro (Iron Man), Viúva Negra (Black Widow) e Máquina de Combate (War Machine) – cadê o Pantera Negra? Heh. Assista ao filme.

Parece bem responsável, certo? Mas…

#TeamCap – Por outro lado, Steve Rogers, o Capitão América, se posiciona contra essa supervisão. Ele participou da 2ª Guerra Mundial, viu de perto o que políticos podem fazer durante uma guerra. E o motivo dele é bem claro: governos tem planos que algumas vezes apenas altas cúpulas sabem, eles tem suas próprias motivações e que nem sempre são as melhores. E se numa dessas, os Vingadores (Avengers) forem enviados para uma missão na qual não acreditam, não concordam, ou pior ainda, se deixam de proteger pessoas e ideias porque vão contra o governo que esteja mandando neles no momento? (Daí, você que me conhece mas não conhece supers, passa a entender como alguém como eu fui ficar do lado do Capitão América :D) – como no caso do #TeamStark, tome aê uma foto com os heróis que passam para o lado do #TeamCap

Capitão América (Captain America), Bucky/Winter Soldier (Bucky/Soldado Invernal), Falcão (Falcon), Feiticeira Escarlate (Scarlet Witch), Homem-Formiga (Ant-Man) e Gavião Arqueiro (Hawkeye)

Capitão América (Captain America), Bucky/Winter Soldier (Bucky/Soldado Invernal), Falcão (Falcon), Feiticeira Escarlate (Scarlet Witch), Homem-Formiga (Ant-Man) e Gavião Arqueiro (Hawkeye)

E a segunda discussão é a respeito de amizade. E gentch… <3 Nessa eu não posso me estender muito ou vai ser uma cachoeira de spoiler. Mas o tempo todo isso é discutido, e não apenas entre os dois líderes de time. É discutido em posicionamentos, em conselhos, entre homens, entre mulheres, entre homens e mulheres – sério, a Black Widow/Viúva Negra, é a melhor amiga de todo mundo ali! Mas, ah lá eu quase esbarrando em spoiler… Mas enfim, é um filme sobre pessoas que se importam umas com as outras, e elas acertam e erram tentando fazer o melhor uma para as outras. E quando erram, meogeorgetakei, é de cortar o corazón, mas quando acertam… Queria ter a maturidade de Natasha, mas #tamojunto, Steve, eu cometeria os mesmos erros e acertos para cuidar de algumas das minhas pessoas preferidas.

Viúva Negra, Tia May, T’Challa e a representatividade

HAH! Achou que ia sair daqui sem que eu falasse a respeito disso? Nevah!

T'Challa -Só digo que a entrada dele é tão espetacular que vai ser difícil prever se você vai gostar mais da dele que a do Aranha!

T’Challa -Só digo que a entrada dele é tão espetacular que vai ser difícil prever se você vai gostar mais da dele que a do Aranha!

– Viúva Negra (Black Widow), ou Natasha, para os íntimos… pense numa personagem phodda! A Marvel até cometeu uns erros feios com ela no filme Vingadores: A Era de Ultron, quando para criar uma suposta simpatia do público com a personagem (por que “oh! uma mulher que flerta com os amigos não conseguiria gerar essa simpatia” *vomitinho) tentaram criar uma historinha besta envolvendo uma lance com maternidade e a definição de ser mulherzzz… Mas neste filme, HUÔ! Pense numa mulher foda! Ela é amiga de todas as horas, orienta a parceira mais nova, luta pra carai, usa roupas razoáveis (gentch, ela luta com roupas confortáveis e botas baixas, acreditam? \o/), aconselha os amigos quando estão sendo mais teimosos que razoáveis, e padam… ela também perde a cabeça e fica brava – porque ela é escrita como uma pessoa! Ainda é pouco? É! Num filme com tantos heróis, temos apenas três mulheres chutando bundas: Natasha, a Feiticeira Escarlate (Scarlet Witch) e a Sharon Carter. Mas já é um começo.

– Tia “Mas precisava transformar a velhinha numa mulher mais nova?” May. Você pode se surpreender com minha resposta, mas precisava, neste caso, precisava. Deixe-me explicar, eu sou a primeira a amar velhinhas em filmes, gibis e séries. Mas a tia May, como era escrita no comecinho das histórias do Aranha, não era uma pessoa, era apenas uma escada, um artifício para contar as histórias do Aranha, apenas uma versão diferente daquelas personagens que não tem vida e são apenas as “namoradas do herói”, que são indefesas, que são vítimas e estão ali pra serem resgatadas. De uns tempos pra cá, nos quadrinhos, a imagem de May mudou, tanto na linha regular quanto nas alternativas. A tia de Peter Parker (um cara que tem seus 16/17 anos no filme) se tornou uma mulher que depois da morte do marido, foi namorar, fazer cursos, viajar – pra você ter ideia, no desenho animado, May chegou a namorar com o Agent Coulson (aquele moço meio careca do Agents of Shield, googla aê). Orra, eu tenho mais de 40, eu tenho idade para ser a tia May de alguém com 16/17 anos… e tenho tatuagens e cabelo que eventualmente está meio cor-de-rosa. Então, tudo bem May ser como é no filme, porque a atriz tem 50 anos, e todas as mulheres com esta faixa etária que conheço estão mais próximas dessa nova mulher que da velhinha com aparência de 90. Meo, nem as velhinhas de 90 anos parecem mais com a tia May original!

– T’Challa, o Black Panther (Pantera Negra) – muito mais gente e com muito propriedade que eu, uma mulher branca, – já falou da revolução que é um dos primeiros super-heróis negros da história estar neste filme. E como está bem representado! O ator confere ao personagem ainda mais do que se esperava quando lemos as HQs. Para você que está chegando agora e nunca leu nada dele, pode ir sem medo! Vai sentir fascinação pelo personagem, vai querer conhecer mais (e vai conseguir, porque vem filme solo dele por aí \o/) – Duas curiosidades lindas? Depois do filme, o título Black Panther foi o mais vendido entre as HQs norte-americanas e o ator, Chadwick Bosewan, disse numa entrevista, que nunca imaginou que crianças, inclusive, brancas, viessem comentar com ele o quanto adoram o herói e que querem ser como ele! <3 Pense isso no nosso contexto, que coisa linda, né? Agora, pense nisso, se colocando no lugar de um norte-americano, com toda aquela história triste de racismo, que consegue ser ainda mais sangrenta que a nossa. Pense no quão lindo e revolucionário é isso!

E todas essas reflexões, ali, num filme bobo de herói.
Entendeu o hype? <3

*Todas as fotos são imagens de divulgação, exceto a fotinho do meu mac e copinho. :)

Ah, prometi listinha!
Se topar a maratona, aqui vai a lista, na ordem:

1. Capitão América: O Primeiro Vingador
2. Homem de Ferro
3. O Incrível Hulk
4. Homem de Ferro 2
5. Thor
6. Os Vingadores
7. Homem de Ferro 3
8. Thor: O Mundo Sombrio
9. Capitão América: O Soldado Invernal
10. Guardiões da Galáxia
11. Vingadores: Era de Ultron
12. Homem-Formiga
13. Capitão América: Guerra Civil

(e tem as séries e desenhos animados… mas vamos deixar pra outro dia) ;-)

Um comentário em “E essa tal de Guerra Civil?

  1. Arrasou? Sim :D “Supers”, como você colocou (e eu adorei) fazem parte da minha vida, e as histórias em quadrinhos estão cheias de analogias com a vida real. Apenas incrível. Que ainda venham muito mais filmes como esses, lidando com relacionamentos, política, representatividade e tudo o mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *