Ela é bonita. Ela é psíquica. Ela é japonesa.

Mai Kuju

Após quatro anos da publicação do primeiro mangá no Brasil (Lobo Solitário), chegou em 1992 nas bancas o mangá Mai – A Garota Sensitiva. A tradução do título pode soar um estilo shoujo ( mangá para meninas), mas se trata de um shonen ( história voltada para o público masculino), isso porque a protagonista se envolve em muita ação, perseguições, lutas de artes marciais e poderes ocultos.
A história é sobre Mai Kuju de 14 anos que possui poderes psíquicos que precisa se salvar da temível sociedade secreta (Aliança da Sabedoria) que quer dominar o mundo – e assim precisam dela para concretizar seus planos. ( vou evitar spoiler!)
A Garota Sensitiva foi o primeiro mangá lançado no Brasil com uma mulher protagonista. A diferenciação do desenho dos demais quadrinhos japoneses me faz recomendar ainda mais a série. O enredo pode ser simples, mas o traço realista do ilustrador Ryoichi Ikegami ( o mesmo de Crying Freeman) é incrível e prende a atenção em cada quadro.
Indico para quem gosta de histórias com muita ação, sangue , lealdade entre os personagens que cativam e uma protagonista que com o passar das situações cresce, sem a necessidade de ser sempre protegida.
Ficha Técnica:
Autor: Kazuya Kudo (escritor) e Ryoichi Ikegami (ilustrador)
Publicação do original:1985 - 1986
Publicação no Brasil: 1992
Volumes: 8
Gênero: sobrenatural

+ Em maio deste ano teve a notícia que haverá uma versão cinematográfica do mangá e parece que Tim Burton vai dirigir o filme. Espero que não mudem a história.

4 comentários em “Ela é bonita. Ela é psíquica. Ela é japonesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *