Humor e cotidiano são sucesso na Espanha

img1

Problemas como perder um pé de meia na hora de lavar roupa, ficar sensível na TPM, não querer se depilar no inverno ou esperar o paquera ligar no dia seguinte são alguns dos temas que inspiram duas das quadrinistas que mais vendem na Espanha: a argentina Agustina Guerrero e a espanhola Raquel Córcoles.

Em comum, têm o estilo autobiográfico, bem-humorado, inspiração no cotidiano (da casa, do trabalho, dos relacionamentos) e uma narrativa mais voltada para charges e tirinhas. Me lembraram um pouco a argentina Maitena, sucesso no Brasil com a série “Mulheres Alteradas” entre o final dos anos 90 e começo de 2000.

Ambas participaram da edição “Las chicas pintam mucho” (“As mulheres pintam muito”), que citei no meu primeiro texto para o Lady’s, brinde da Fnac durante as compras natalinas. Seus livros estão sempre em destaque nas livrarias como “sugestão de compra” ou sinalizados como os “mais vendidos”.

Outro sinal de que as quadrinistas estão em alta é vê-las ilustrando produtos, como o rótulo da garrafa do rum Barceló idealizado pela Raquel Córcoles, ou comerciais para a marca de cosméticis Clinique, o refrigerante Aquarius e a série de peças publicitárias para o canal FOX Life feitos pela Agustina Guerrero sobre programas como “The Voice”, “Scandal”, “Glee”, “Grey’s Anatomy”, entre outros.

Na Espanha, além das livrarias, os quadrinhos de Agustina e Raquel podem ser encontrados nas bibliotecas públicas com facilidade. Eu, por exemplo, retirei exemplares na Biblioteca de Vallecas e do Parque do Retiro, em Madri – fácil, rápido, indolor e de graça! Infelizmente, no Brasil, pelo que pesquisei na internet, não há versões traduzidas para o português ainda. Quem quiser arriscar em castelhano, encontrei as obras principais disponíveis apenas no site da Livraria Cultura, tanto na versão em papel como digital.

Outra opção para acompanhar o trabalho das autoras é segui-las nas redes sociais. Os links estão aí embaixo.

montagem_texto2

Agustina Guerrero, a volátil

A argentina nasceu em Cachabuco e vive na Espanha há mais de dez anos, com base na cidade de Barcelona. Seu grande sucesso é o livro “Diario de una volátil” (2014, Ed. Lumen), que retrata cenas do dia a dia e já está em sua 5ª edição, depois de vender dezenas de milhares de unidades em terras espanholas.

Basicamente nas cores branco, preto e azul, seu traço é divertido e meigo ao mesmo tempo e, na maioria das páginas, as charges têm pouco texto e impactam pelo desenho. A volátil é uma personagem autobiográfica, balzaquiana, na maior parte do tempo solteira, que vive de cabelo preso, roupas listradas e carrega um olhar cativante. A leitura é leve e rápida.

Na contracapa, a autora resume o conteúdo do livro em poucas linhas: “Coisas que sente e não pode dizer, como um ‘te amo’, assim de repente. Coisas que te dão vergonha, medo, preguiça, como pendurar a roupa lavada com as meias em pares. Coisas que te fazem sorrir, chorar, como uma segunda-feira qualquer sem café e sem amor. Um mundo inteiro de detalhes que falam de você, de mim e de todos nós”.

Depois do livro de estreia, Agustina lançou outros dois títulos que ainda não conferi e retratam outras etapas da vida. “Nina – Diario de una adolescente”, que aborda dúvidas sobre que profissão escolher, sobre beijar bem e sobre se sentir um ser estranho no meio das outras pessoas. Já seu último livro “La volátil, mama mia!” traz relatos dos seus nove meses de gravidez, além de cenas do seu casamento.

Links úteis:
Site: http://www.agustinaguerrero.com/
Blog: http://guerreroagustina.blogspot.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/diariodeunavolatil
Twitter: https://twitter.com/lavolatil?lang=pt
Instagram: https://www.instagram.com/agustinaguerrero/?hl=es

Reprodução do blog da Agustina Guerrero (http://guerreroagustina.blogspot.com.br/)

Reprodução do blog da Agustina Guerrero (http://guerreroagustina.blogspot.com.br/)

Raquel Córcoles, a moderna do interior

Com o codinome “Moderna de pueblo”, a jornalista se detacou contando a vida de uma moça que sai do interior e vai para a cidade grande para estudar e trabalhar – rotina vivida por muitas mulheres espanholas e brasileiras (eu, inclusive). Suas tirinhas começaram a ser publicadas em um blog em 2011 e contam os desafios de se adaptar ao ritmo da metrópole, aos relacionamentos e também sobre voltar para visitar a família na cidade natal.

O conteúdo foi reunido no livro “Soy de pueblo” (2013, Ed. Glénat), mas Raquel se tornou um sucesso com a publicação “Los capullos no regalan flores” (“Os cafajestes não dão flores”), lançado no mesmo ano pela Editora Lumen, no qual enfoca relacionamentos amorosos. Além das aventuras e desventuras da protagonista e suas amigas pela noite espanhola, a obra é conhecida por classificar seus paqueras, que chama de “capullos”, o equivalente aos nossos cafajestes: clássico, simpático, fugitivo, ideal, bom samaritano, hipster entre outros.

Seu terceiro e último livro é derivado de um desses tipos, o hipster, que em espanhol tem um nome mais divertido: “cooltureta”. “Cooltureta – La novela gráfica” (2013, Ed. Lumen) é uma sátira aos fãs de arte, que algumas vezes soam um pouco arrogantes e “diferentões”. As histórias do personagem contam com a colaboração do roteirista Carlos Carrero, que, pelo que entendi, é seu namorado hoje em dia.

Perguntada se “Cooltureta” era um deboche aos amantes da cultura, Raquel deu a seguinte resposta em seu site: “Pelo contrário! Não há nada que apreciemos mais que a leitura, o cinema e a arte em geral. Mas também temos consciência de que é muito difícil entender e conhecer tudo e rimos de nós mesmos quando não entendemos um filme do diretor que está em alta, quando não lemos ou assistimos algum clássico considerado obrigatório etc.”

Uma característica de sua narrativa é incluir o uso de tecnologia (Facebook, Whatsapp…) nos textos. Seu desenho é menos elaborado que o de Agustina e, às vezes, me parece um pouco “engessado”, mas tem a curiosidade de nunca retratar os olhos dos personagens, que são substituídos por óculos, franjas compridas ou símbolos (corações, espirais, cruzes…), no melhor estilo emoji.

Links úteis:
Site: http://modernadepueblo.com/
Facebook: https://www.facebook.com/lamodernadepueblo/
Twitter: https://twitter.com/modernadepueblo
Instagram: https://www.instagram.com/modernadepueblo/

Reprodução do site da Moderna de Pueblo (www.modernadepueblo.com)

Reprodução do site da Moderna de Pueblo (www.modernadepueblo.com)

Reprodução do site Moderna de Pueblo (www.modernadepueblo.com)

Reprodução do site Moderna de Pueblo (www.modernadepueblo.com)

Um comentário em “Humor e cotidiano são sucesso na Espanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *