[Lista] 8 mães nos quadrinhos

Falar sobre maternidade não é exclusividade de mães em produtos culturais. Temos autoras influenciadas pelas próprias crias ou xs colocam a figura materna como protagonista. Desde o formato em tiras até mangás encontramos com frequência o humor entre a realidade e a ficção sobre o que é ser mãe.

Fiz uma lista de recomendações de algumas artistas do Brasil e além!

1. Chora lombar, de Thaiz Leão


Antes de ser mãe do Vicente, a Thaiz era a Thaiz. E, somada a um novo mundo que é a chegada do bebê, a gente vira “tudo”. E nisso, “se vira”. Puxamos os cabelos. E a cada dia aprendemos. Sendo mãe solo, incluímos outras vivências – muito bem apresentadas por Thaiz Leão. Entrevista no Lady’s, feita pela Mariamma, aqui!

2. O pintinho, de Alexandra Morais

Alexandra começou em 2009 com as tiras online e tem dois livros publicados. A origem: 


3. Bel, de Ciça Pinto


A tira foi publicada no suplemento feminino da Folha de São Paulo no final dos anos 1970. Na matéria sobre as precursoras da revista RISCA! a autora explica: “Foram inspiradas pela minha vivência com minha filha Ana, adolescente naquela época”.    

4. Mãe de mãe, de Clara Lagos

A webcomic é produzida exclusivamente para o Lady’s Comics. Juana (21 anos) é uma jovem que não sabe bem o que fazer da vida. Por isso, decide ir morar com a sua avó Teresa (66 anos) em Buenos Aires. Ela troca as serras de Córdoba por um bairro portenho para provar a sorte e encontrar alguma coisa que mantenha seu interesse por mais de 4 meses. Deixa em Capilla del Monte a sua mãe Fernanda (42 anos) com muita culpa materna. Também deixa lá seu cachorro Chico, seu ex-namorado e seu grupo de amigas. A autora também tem o zine Matérniti: dibujos e historietas de Clara Lagos e faz oficinas de quadrinhos com crianças na Argentina.

 

5. Sazae-san, de Machiko Hasegawa

O mangá começou em 1946 e foi produzido até 1974. Quando iniciou a história, a autora tinha 26 anos e foi uma das primeiras autoras de quadrinhos no Japão. Diferente de qualquer personagem feminino daquela época, Sazae-san era preponderante no enredo – mandava no marido e em casa (o que não era bem visto pelos vizinhos), tinha uma visão libertária, virou feminista e participou de encontros feministas que tinha na cidade. A autora conseguiu trazer uma família moderna para uma época de pós-guerra, foi considerada vanguardista por este pensamento sobre a questão familiar. Mais informações sobre a obra aqui no site!

6. Maliki Mamá, de Marcela Trujillo

Na publicação Las crónicas de Maliki 4 ojos, a autora chilena retrata sua experiência como mãe e como foi o processo da separação do marido quando com filhos. Numa entrevista no jornal local LUN (2011), fala sobre como a arte ajudou na melhora da depressão: “Ser artista é difícil e ser mãe é mais ainda difícil, mas a arte me ajuda muito a entender o sentido das coisas para as obrigações da vida adulta. Sem esse humor e fabulação da realidade, tudo seria muito diferente para mim”.

7. Mamá Ilustrada, de Natalia Sabransky

Antes de descobrir que estava grávida, a argentina já publicava de modo despretensioso na página do Facebook “SNathy”.  Com a vinda de Santiago, as histórias que antes tinham apenas a vida do casal e cotidiano da autora, passou a ter o recorte da maternidade. Na vontade de falar sobre essa nova experiência maternal junto com Gastón, seu marido, Mamá Ilustrada veio para ser uma extensão dela, “Minha catarse como mãe”, como explica em seu site. Sua página no Facebook tem quase 160mil curtidas e, além dos quadrinhos, produz conteúdo no blog sobre saúde e guias para ajudar mães de primeira viagem.

8. A minha vida dava um cartoon, de Ana Sílvia Agostinho

Ana começou a webcomic quando soube que estava grávida e em sua página pessoal no Facebook. Depois de ter uma boa repercussão com os quadrinhos para além do ciclo de amigos e família, fez a página A minha vida dava um cartoon. Já publicou dois quadrinhos: Diário de uma gravidez ilustrada e Mamã Cartoon. Neles retrata com humor as situações corriqueiras da maternidade. Segundo a autora, quanto mais constrangedor, melhor fica o cartoon.

Conversa Mãe ao quadrado no Encontro Lady’s Comics!

Pela primeira vez essa temática foi abordada no 2º Encontro Lady’s Comics – A primeira viagem, em 2016, e tivemos a honra de receber as artistas que são inspiradas pela maternidade: Thaiz Leão, Clara Lagos e Chiquinha confira um trecho:

ANOTE NA AGENDA!

No Encontro Lady’s Comics na Quanta vamos ter o bate-papo Mãe ao quadrado com Thaiz Leão e Ciça Pinto. Não perca a oportunidade de participar dessa conversa e de outras atividades que vão rolar nos dias 6 e 7 de maio de 2017!

Como se inscrever?
Telefone: (11) 5083–8425
Endereço: Rua Dr. José de Queiros Aranha, 246 — próximo ao metrô Ana Rosa
Programação: http://ladyscomics.com.br/quanta/
Confirme sua presença: https://bitly.com/2nuQw13

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *