Nenhuma mulher selecionada. Novidade?

Ilustração enviada por Thais Mendes Camilo para concurso da Folha

A Folha fez mais um concurso de ilustração. Ao anunciarem as escolhas, também anunciaram que os 15 ganhadores vão colaborar pelo menos uma vez com o jornal no período de 3 meses. Foram mais de 800 trabalhos para cinco categorias: charge, cartum, ilustração, caricatura e tirinhas.

Qual foi o resultado? Homens em todas as colocações. Diante de centenas de inscritos e possíveis ganhadores, nenhuma mulher foi selecionada. Estranho? Não. Talvez seja apenas uma dentre várias faltas de oportunidades de trabalho e espaço que enfatizam que não há lugar para a mulher. Quantas vezes já enviamos propostas e não fomos ouvidas? Quantas vezes ignoradas? E quantas vezes vemos que para os homens, que começam da mesma forma, há uma recepção muito distinta?

“Não sejam vítimas”, é o que nos dizem. “Façam melhor”, usariam como discurso para legitimar a seleção. E aí está o silenciamento que desqualifica nossos questionamentos sobre o mercado que mantém categorizando qual mão de obra vale mais ou menos.

Tirinha da Marina Nicolaiewsky enviada para o concurso da Folha

Se diante dos dados da Folha, que não apontam gênero dos inscritos, você ficou em dúvida se houve mesmo mulheres mandando seus trabalhos, temos o prazer de apresentar, ao longo do texto, algumas artes que elas enviaram ao jornal. Para você, artista, não deixe que te desvalorizem. Não deixe que isso te influencie: seu trabalho vale muito!

Ilustração de Aline Zouvi feita a partir da noticia “Argentina discute reduzir maioridade penal após crimes de adolescentes”

É bom deixar claro que não estamos pondo em xeque a qualidade dos trabalhos enviados, porém questionando uma seleção que não se preocupa em ter, em um de seus critérios, a diversidade. E isso não se aplica apenas ao gênero, como também à regionalização dos trabalhos. Aos que estão pensando “mas eles escolhem quem eles querem”, deixamos a questão: será que quando o mundo todo fala em inclusão, igualdade de gênero e de direitos, um grande veículo de comunicação prefere caminhar para trás?

Tirinha da Helô D’Angelo enviada para do concurso da Folha

Um dos nossos objetivos dentro deste coletivo é trazer questionamentos de como as artes visuais, em especial os quadrinhos, vêm lidando com as produções de mulheres. Esperamos crescer com isso.
Essas seleções devem ser feitas com cuidado, pois influenciam indiretamente os leitores, perpetuando o discurso de que mulheres não fazem quadrinhos ou não ilustram. Um exemplo de como esse tipo de seleção influencia negativamente foi a última Premiação Angouleme. Com grande repercussão, o resultado foi modificado após os questionamentos dos artistas, incluindo dois premiados.

Cartum de LoveLove6 enviado para o concurso da Folha

Já são quase 7 anos de Lady’s Comics, e mesmo assim temos registrado com frequência casos como esse. Mas qual seria a solução? Como de fato vamos conseguir mudar este cenário? Falta união?

Uma coisa é certa, é responsabilidade de todxs.

ATUALIZADO – Dia 02/02/2017

Entramos em contato com a Folha e conversamos com Thea Severino, editora de imagem da Folha de São Paulo e jurada do concurso. Por e-mail nos disse:

” (…) Dos 803 inscritos, 199 foram mulheres, cerca de 25%.  É evidente que muitas delas poderiam estar entre os finalistas, assim, como muitos homens que não venceram. Mas o júri fez sua escolha, e ela é subjetiva. (…)”

Questionamos os critérios utilizados e ela nos respondeu que “o critério é qualidade de conteúdo. Cada categoria tem a sua particularidade.”

Segundo ela, na inscrição online não havia campo para colocar o gênero do inscrito.
No perfil foi solicitado, nome completo, idade, telefone, cidade, profissão e escolaridade.

Um comentário em “Nenhuma mulher selecionada. Novidade?

  1. Aí está a relevância da minha pesquisa de mestrado. Ano passado defendi minha dissertação sobre a exposição de arte gráfica feminina Batom, Lápis e TPM, de Piracicaba, e vi tanto lá quanto em muitos lugares a urgência de se falar da arte feminina. Uma vergonha essa atitude da Folha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *