O mundo pós-apocalíptico de Yumi Tamura

Diferente do futuro otimista que Yumi construiu em Basara, em 7Seeds o futuro pós-apocalíptico é bem mais cruel com os que acordaram num mundo desconhecido de sua antiga realidade.

Tamura começou a escrever o mangá depois de ver as notícias sobre o asteroide (89959) 2002 NT7 que pode atingir Terra em fevereiro de 2019. Yumi fez suas previsões de como o planeta ficaria e de como os governantes reagiriam à catástrofe.

O Japão é o país retratado na história, que se passa num ano indeterminado. O primeiro capítulo começa com flashes de uma das pessoas que acordaram nesse futuro de Yumi.

"Quando você acorda, você não sabe se você está no céu ou no inferno, mas você deseja fortemente sobreviver."

Cinco grupos contendo sete integrantes, as sete sementes, e um guia são preservados, com objetivo de cultivar a vida humana. Os grupos foram selecionados com cautela para que não diminuísse a chance de sobrevivência. Para os governantes teria duas opções de futuro para as 35 pessoas: acordar em um sonho ou num pesadelo.

A Terra mudou muito, o horror no mangá está atrelado as novas espécies de animais e plantas que evoluíram. O ser humano se tornou uma presa fácil.

O que chamou a atenção foi que entre esses cinco grupos existe um que não é composto por jovens prodígios, mas de pessoas que são consideradas  fracassadas como cidadãos japoneses – uma adolescente que não saía mais de casa por ter sofrido na escola, um assassino e um delinquente são alguns deles.

Um dos focos interessantes visto no mangá é a parte psicológica dos personagens. As necessidades de sobreviver, superar traumas do passado e de ser amparado por entes que não estão presentes nos momentos mais difíceis, são exploradas para chegar à superação ou ao desespero total durante a trama.

A triste tentativa dos humanos em sobreviver após o impacto do asteroide é revelada no quadrinho.

As surpresas ao longo da história são intermináveis e as vezes é impossível não ficar agoniado com algumas situações. Os detalhes de como foi o final da humanidade após a queda do asteroide é contada. O horror e o drama são sempre bem dispostos e mesmo depois de 10 anos publicando o mangá, a qualidade da história não decaiu.

A arte de Tamura é incrível. Os detalhes das cenas melhoram na forma como é contada e como isso atinge bem o leitor.

Até agora foram publicados 21 volumes e ganhou o prêmio Shogakukan Manga Award na categoria shoujo, em 2007. Sempre está presente nas listas dos mais vendidos no Japão e conseguiu vender mais de 10 milhões de cópias da série.

Yumi começou a carreira com o a história curta Ore-tachi no Zettai Jikan (“This is the Time for Us”), em 1983, no mesmo ano que ganhou o premio Shogakukan Grand Prize na categoria de novo artista.

Tamura já fez cerca de 30 quadrinhos e os gêneros mais explorados são romance, drama, aventura e mistério. Os trabalhos mais conhecidos são Basara e 7Seeds.

2 comentários em “O mundo pós-apocalíptico de Yumi Tamura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *